Pular para o conteúdo principal

O que é uma Ostomia?

A ostomia é uma cirurgia para construção de um novo trajeto para saída das fezes ou da urina. Essa intervenção cirúrgica pode ser usada para criar uma abertura de eliminação das fezes, chama de ostomia digestiva, ou da urina, conhecida como ostomia urinária.
A abertura feita na parede abdominal é a ostoma e torna-se necessária quando o paciente sofre alguma perfuração no abdômen ou em casos de câncer no reto, intestino grosso ou na bexiga. Ferimentos ou anormalidades congênitas que impedem o funcionamento normal da bexiga também tornam necessária a realização de uma ostomia urinária.
Como essa abertura não pode ser controlada voluntariamente, pacientes ostomizados precisam utilizar uma bolsa que recolhe o conteúdo eliminado. Isso faz com que o indivíduo precise se adaptar à nova condição, mas com a ajuda de profissionais especializados e tomando os cuidados necessários, em pouco tempo o paciente volta a levar uma vida normal.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Informação adicional relacionada a Extrofia de Cloaca

Partes: 1 e 2 Tabela 1. Classificação das anomalias anorretais


Sexo Malformação Necessidade colostomia Masculino Fístula cutânea (fístula perineal) Não Fístula Rectourethral Bulbar Sim Protético Sim Fístula Rectovesical Sim Agenesia anorretal sem fístula Sim Atresia rectal Sim Feminino Fístula cutânea (perineal) Não Fístula vestibular Talvez Agenesia anorretal sem fístula Talvez Altresia rectal Talvez

Extrofia de cloaca, você sabe o quê?

Um caso ainda mais grave e raro que a gastrosquise ou a onfalocele é chamado de extrofia de cloaca.
Defeito congênito que consiste de uma má formação da bexiga e uretra, na qual a bexiga fica exposta para fora do abdome.

As porções logo abaixo da bexiga chamadas de colo vesical e esfíncter uretral externo são os responsáveis pela continência urinária, já que eles permanecem fechados quando a bexiga se enche de urina. 

O que é Rim em Ferradura?

O que é esta doença?
Rim ferradura é a anomalia congênita, consistindo de polos superiores ou inferiores fraturados ambos os rins entre si, com a formação do istmo.
Esta malformação caracteriza-se pela fusão de ambos os rins, ligados entre si por uma ponte de tecido renal que une os seus pólos superiores ou inferiores e que passa à frente da aorta e da veia cava.